Após eleições, minimercados gaúchos mostram otimismo - Jornal do Comércio

Após eleições, minimercados gaúchos mostram otimismo - Jornal do Comércio

Os proprietários de minimercados do Rio Grande do Sul estão otimistas com o futuro dos negócios e da economia depois das eleições. A informação faz parte de sondagem realizada pela Federação do Comércio de Bens e de Serviços do Rio Grande do Sul (Fecomércio-RS). De acordo com a pesquisa, 76,9% dos empreendedores acreditam em melhoria nas vendas durante os próximos seis meses e 72,8% apostam em uma melhora no desempenho da economia brasileira até o fim de 2018.

O levantamento foi feito em 385 empreendimentos do Estado que são optantes pelo Simples Nacional, durante os dias 4 e 19 de outubro. Apesar de fazerem parte de um regime de impostos simplificado, que beneficia as pequenas empresas, 48,8% dos estabelecimentos pesquisados apontam a carga tributária como empecilho para expansão nas vendas. Outros 48,3% indicaram a crise vivida pelo País nos últimos anos, 23,1% a concorrência e 19,5% a baixa demanda pelos produtos.

Outro dado que chama atenção é de que em apenas 47,3% dos minimercados existe um controle informatizado das vendas e dos estoques, enquanto 7% controla apenas um dos dois componentes. Entre os entrevistados, 45,7% revelou que não acompanha o estoque e as vendas de forma informatizada.

Entre os estabelecimentos pesquisados, 82,3% funcionam há mais de dez anos e 87,5% empregam entre uma e cinco pessoas. O desempenho das vendas nos últimos seis meses foi considerado regular por 54,3% dos entrevistados, ruim por 27% e bom, muito bom ou excelente por 18,7%.

Contrariando a visão da maioria dos empreendedores, o presidente da Fecomércio-RS, Luiz Carlos Bohn, avalia que o maior problema dos minimercados gaúchos está na falta de estratégia e planejamento na gestão, citada por apenas 0,3% dos entrevistados. “Eles estão olhando muito mais os problemas de fora do que os próprios. A pesquisa nos mostra que boa parte mantém o mesmo mix de produtos, não faz promoções e não troca de fornecedores. Uma boa gestão melhoraria o desempenho”, avalia Bohn.

O presidente da Fecomércio também critica o fato de que pelo menos 30% dos empreendedores não faz uma separação clara entre as finanças pessoais e as de seus negócios. “Muitos são comerciantes antigos, que precisam evoluir. Não têm uma planilha ou um levantamento para acompanhar o desempenho das vendas ou o controle de estoque”.

Em relação ao otimismo dos empreendedores, Bohn reconhece que parte das boas perspectivas podem ser relacionadas com o resultado do processo eleitoral. “Em geral, esse tipo de eleitor, que é o empresário, apostou em quem ganhou (Jair Bolsonaro), porque esperava mudança e não é (defensor) do assistencialismo”, descreve.

 

Confira alguns dados da sondagem

Tempo de funcionamento:
Menos de um ano – 0,5%
De um a três anos – 1,6%
De três a cinco anos – 2,9%
De cinco a dez anos – 12,7%
Mais de dez anos – 82,3%

Força de trabalho:
De uma a cinco pessoas – 87,5%
De cinco a dez pessoas – 10,4%
De dez a 20 pessoas – 1,3%
Mais de 20 pessoas – 0%

Empecilhos para expansão das vendas:
Carga tributária - 48,8%
Crise vivida pelo país - 48,3%
Concorrência - 23,1%
Baixa demanda - 19,5%
Falta de crédito (capital de giro) - 8,3%
Custo para manter/comprar estoques - 7,3%
Dificuldades para ampliar espaço - 1,0%
Baixa variedade de produtos - 0,8%
Legislação a que está submetido - 0,5%
Falta de estratégia e planejamento - 0,3%

Desempenho das vendas nos últimos seis meses
Ruim – 27%
Regular – 54,3%
Bom – 16,9%
Muito bom – 1,3%
Excelente – 0,5%

Separação das finanças do negócio e dos donos
Contabilidade independente – 67,5%
Contabilidade misturada – 30,6%
Não sabe/não respondeu – 1,8%

Controle informatizado das vendas e estoques:
Controle de estoques e de vendas – 47,3%
Controle de vendas – 5,7%
Controle de estoques – 1,3%
Não há controle informatizado – 45,7%

Expectativa sobre vendas nos próximos seis meses:
Piore muito – 0,5%
Piore um pouco – 1,3%
Mantenha-se estável – 21,3%
Melhore um pouco – 48,1%
Melhore muito - 28,8%

Expectativa sobre desempenho da economia em 2018:
Piore muito – 1,3%
Piore um pouco – 4,2%
Mantenha-se estável – 21,8%
Melhore um pouco – 52,5%
Melhore muito – 20,3%

FONTE: Fecomércio-RS

?
PAULO EGÍDIO - Jornal do Comércio (https://www.jornaldocomercio.com/_conteudo/economia/2018/11/655582-apos-eleicoes-minimercados-gauchos-mostram-otimismo.html)

Foto: MARCO QUINTANA/JC 

RECEBA NOVIDADES

Voltar ao Topo