top of page
Logos embaixo Videowall Anuga 2024 - v4.png

Siga-nos nas redes sociais e fique por dentro de todas as notícias do setor supermercadista:

Instagram - Facebook - YouTube - Linkedin - Google News

Os supermercados das novas gerações

Por Roberto James, Autor & Mestre em Psicologia, Especialista em comportamento do consumidor


Já parou para pensar nas mudanças que estão ocorrendo com as novas gerações?

Como isso irá impactar no supermercado do futuro? Nada é fácil de se prever quando se trata de comportamento do consumidor. Os hipermercados, as lojas que vendiam de um a tudo, que foi o grande sucesso da década de 2000, hoje está sendo trocado por facilidades, conveniência e proximidade.


supermercado do futuro

Isso tem muito a ver com o tempo do cliente. O consumidor tem pressa e já não aceita mais perda de tempo em processos burocrático aleatórios e sem sentido. Isso é mais evidente enquanto mais novo é o cliente. As novas gerações têm indicado claramente seu comportamento e vamos levantar aqui os X pontos mais relevantes e de maior impacto no varejo supermercadista.


PRIMEIRO, as novas gerações estão adiando filhos e casamento. O principal vetor capitalista, a variável mais importante que gira com foca a roda econômica capitalista está diminuindo e demorando mais tempo para se consolidar. O consumo em si está em xeque? Não, mas existe a previsibilidade de diminuição drástica de valores quando se compra alimentos para um ou dois no máximo e quando se compra para quatro, cinco em diante.

Isso vai impactar um ecossistema gigante hoje formado por farmácias, playgrounds, lojas de brinquedos, escolas, esportes, franquias de línguas e educacionais. Materiais escolar, seguros de saúde, gastos com entretenimento, streams e até o consumo de energia.

Alguns desses serviços tendem a se tornar gourmet, alta qualidade, preços altos e menor público.


SEGUNDO, encontram-se os mais jovens que não querem dirigir, comprar casa ou até constituir uma família. A tríade de realização das gerações passadas: emprego(1), casa(2) e um carro(3), não fazem mais a definição de sucesso para os mais jovens.

Isso vai impactar fortemente no mercado correlato. Falamos de postos de combustíveis, lojas de peças, ferramentas, materiais de construção entre outros. O impacto na rede supermercadista, a longo prazo chega a ser potencialmente disruptiva. Os padrões de hoje não se adequarão aos clientes do amanhã.


Isso inclui mix de produtos, layout, serviços, tamanho e forma de apresentação de produtos. Seções mais fadadas a impacto são a FLV, mercearia e produtos para crianças.

TERCEIRO, hoje vemos a geração Z com problemas de relacionamento com trabalho. Isso vai impactar na forma econômica visto que a tendência dos mais jovens não é acumulativa como as de hoje. Trocar o ter por ser, o comprar por usar. Temas como sustentabilidade e meio ambiente serão cada vez mais importantes dentro do processo de escolha e decisão de compra.


Os fatores de compra também estão totalmente direcionados ao online, visto que as crianças de hoje estão cada dia mais conectadas. O padrão de compra nunca mais será o mesmo e o ativismos em redes sociais pode valer uns bons anos de sobrevida nesse mercado cada dia mais essencial e minimalista.


Os supermercados nunca sairão de moda. Sempre estarão na vanguarda do varejo alimentar e terão grande representatividade no processo de compra de alimentos e mantimentos das pessoas. É um lugar em que o consumidor sente o peso do poder de compra, mas ao mesmo tempo enxerga o mercado como aliado. Um lugar bom para satisfazer seus desejos. Esse deve ser o principal foco do varejo alimentar. Estar de olho no consumidor e suas alterações de consumo.


Mais que estacionamentos grandes, ou salões suntuosos e espaçosos, os mercados precisam se aproximar mais dos seus clientes. Muitas vezes isso só ocorre no caixa de pagamento, no final do processo de compra e no momento mais tenso do consumo, mas a interação tem que ser feita através das redes sociais e do on-line, antes, durante e depois da compra. O cliente gosta de ser ouvido e terá mais disposição a comprar daquele que lhe der atenção e respeitar seus desejos e opiniões.


Quer saber mais? Indico para vocês o livro: O CONSUMIDOR TEM PRESSA: COMRRA COM ELE OU CORRA ATRÁS DELE, ed. Literando. Neste livro, eu falo muito sobre essa questão da multicanalidade, sobre o impacto das redes sociais no varejo. Sobre como a questão do mercado de proximidade influencia no processo decisório do consumidor. Para adquirir o livro é só entrar no site ou app da Amazon e pesquisar pelo título do livro, comprar e receber na sua casa.


Roberto James

Conselheiro Consultivo da Startup Carby

Autor & Especialista em comportamento do consumidor

Comments


FEIRA DE NEGÓCIOS PARA
SUPERMERCADISTAS
08 a 10 Abril 2025 - São Paulo

Venda Congresso.png
Congresso para Supermercados de Bairro
Venda Açougue.png
Workshop Açougue de Primeira
bottom of page